About Me

My photo

Paulo José da Costa é livreiro e ex-funcionário do Banco do Brasil.   Considera-se um garimpador da memória, procurando nos sótãos e porões as fotos antigas, postais, cartas, diários com que alimenta sua paixão que tem foco no cotidiano.  Pesquisador de história da música e do cinema, postando raridades no youtube.  Mantém enorme acervo de cds, dvds, fitas, vinil, discos de rádio, 16 polegadas, 10 polegadas, compactos e o escambau. Ex-libris, filmes antigos, gravuras, affiches, cartas, jornais antigos, albuns de família, postais, a lista é grande. Sempre procurando mais. Tem quatro blogs e desenvolve projeto de livro sobre o cotidiano paranaense através das fotos de família entre 1870/1960. Mantém arquivo de memória paranaense e catarinense.

27 March 2014

DUAS CARTAS DE CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO (1944)

Em meio a um grande lote de cartas comuns, escritas em alemão, encontrei essas duas, enviadas por dois prisioneiros de dois campos de concentração diferentes no dramático ano de 1944. Estavam juntas e não consegui descobrir um elo entre elas, pois são duas pessoas de regiões totalmente diferentes.    O fato de lhes ter sido permitido escrever essas cartas, numa época da mais extrema violência contra prisioneiros,  talvez nos induza a pensar que fossem dois dissidentes políticos não-judeus (Buchenwald foi o primeiro campo de concentração criado na Alemanha, especialmente para dissidentes do regime hitlerista), porque imagino que judeus não teriam essa "regalia". Quando recordamos que 700.000 alemães foram mortos por seus conterrâneos por discordar do regime no período nazista, essas cartas adquirem importância documental expressiva, além da enorme carga emocional que carregam. Infelizmente não é possível descobrir como vieram parar no Brasil, mas imagino que as pessoas que receberam as cartas possam ter emigrado. Um dos prisioneiros sobreviveu à experiência terrível no campo, conforme descobri abrindo os arquivos disponíveis na internet.  Não é difícil imaginar, vendo as fotos dos resgatados do campo de Buchenwald em 1945, o estado de saúde em que se encontrava.  É um milagre ter sobrevivido.    O outro prisioneiro não me foi possível ainda saber de seu destino. Quem sabe os garimpadores como eu descubram alguma coisa nos porões de arquivos da internet.  

PRIMEIRA CARTA - DE BUCHENWALD

frente do envelope - destinatário 

DESTINO - Família Jarub Schmidt, Munique

VERSO DO ENVELOPE - REMETENTE

REMETENTE -                  Williberd Schmidt   5971/9
                                           Campo de Concentração de Buchenwald
                                           Weimar, Turíngia    15.


PRIMEIRA PÁGINA DA CARTA

Campo de concentração, Buchenwald, 20. agosto de 1944.

                         Meus queridos!

Agradeço de coração a carta de 14.8.
São justamente cartas assim que me trazem alegria.
Descrevem assim a vida dos meus amados pais. Cada palavra expressa o tamanho do carinho. Mas também mostram a maturidade de pessoas que estão com os pés no chão diante da dura realidade.Vou me esforçar de sempre fazer o bem para vocês, queridos pais.



segunda página

Principalmente as considerações históricas em contexto com a nossa vida familiar, me engrandecem muito. Infelizmente não podemos escapar de todas as possibilidades.
Em poucos dias começa o sexto ano de guerra. Para mim ao mesmo tempo o pior ano da minha permanência involuntária aqui no "coração da Alemanha" . Depois de já ter perdido 5 anos da minha vida em Dachau, posso então, olhando para trás,   também ver uma década de minha vida. 

terceira página

Com sorte, completo um jubileu. No mais estou bem de corpo e de alma e isso eu acho fabuloso. É nesses dias que penso muito nas ultimas semanas de Agosto de 1939. Quando todos ainda estávamos no aconchego do nosso lar na bela Isarstadt e corriamos atrás do nosso trabalho. Uma verdadeira vida em comunidade, lá fora, nas cercanias da cidade grande. Perto da mata da terra natal onde estávamos tão próximos do sol. Nosso pequeno Müschi que animava tantas vezes nossas festas. 



QUARTA PÁGINA

Sempre meus pensamentos voltam aos meus queridos irmãos que o longínquo Leste tomou, vocês, queridos pais e nós, irmãos de Campo de Concentração, como nos nominamos, na firme esperança de um dia retornar com saúde para o lar. As melhores saudações para Anni e nosso "Südlern".(??)
Muitos beijinhos para Annemarie. Fiquem com saúde, queridos pais e sejam abraçados com carinho, seu Willi.

                    SEGUNDA CARTA -  DE DACHAU


REVERSO DA CORRESPONDÊNCIA, COM O NOME DO REMETENTE

REMETENTE - FRANZ MIKLAVCIC, nascido em 13.07.1903   prisioneiro número 58.748             Bloco 1872           Dachau 3 K



DESTINATÁRIO E REGRAS DE ENVIO DE CORRESPONDÊNCIAS

DESTINATÁRIO - Senhor Gottfried Schober     Schillergasse, nr 19    Assling/Sawe    Oberkrain


NORMAS DE REMESSA DE CORRESPONDÊNCIAS NO CAMPO DE CONCENTRAÇÃO DE DACHAU:  
As seguintes normas de correspondência com presos devem ser observadas:

1.) Cada prisioneiro sob custódia, pode receber por mês, 2 cartas ou cartões de seus familiares como também enviar. As cartas aos presos têm que ser legíveis, escritas com tinta e só podem conter 15 linhas em cada folha.
São somente permitidas folhas de tamanho normal. Envelopes não podem ser forrados. Nas cartas só podem ser colocados 5 selos de 12 Pfg. (Pfennig) cada.Tudo mais é proibido e sujeito à apreensão. Cartões, com 10 linhas. Imagens de luz  (o que hoje chamamos de slides ou transparências) não podem ser enviadas como cartões.

2.) Envio de dinheiro na correspondência é permitido porém tem que constar nome e sobrenome, data de nascimento e número do preso.

3.) Jornais são permitidos, mas terão que ser encomendados através dos correios de  K.L. Dachau 3 K .

4.) Pacotes podem ser enviados mas com certo limite.

5.) Pedidos de demissão de prisão preventiva, no campo, são inúteis.

6.) Pedidos para conversa ou visita de presos no campo de concentração são terminantemente proibidos.

7.) Toda correspondência que não obedecer estes requisitos, será destruída.
                      
                                                        O COMANDANTE DO CAMPO.


IMAGEM DA CORRESPONDÊNCIA POR INTEIRO onde vê-se o tipo de dobradura.




INTERIOR DA CORRESPONDÊNCIA - PRIMEIRA PÁGINA 

Dachau 3K,  15 de Outubro de 1944

Querido amigo! Já se passaram 2 semanas e assim posso me comunicar, graças a Deus ainda estou bem e com saúde. Infelizmente não tenho recebido notícias  dos meus bons amigos Strükelj nem da minha querida mulher, mas espero que estejam bem e ainda entrarão em contato. Não sei onde se encontra agora o amigo Strükelj, mas tenho certeza absoluta que ele não me esqueceu e creio que ele irá fazer chegar as cartas até a minha esposa que, intermediários, com certeza ele já tem. Eu o saúdo de coração como também agradeço a  sua gentileza pelos aborrecimentos que o sr. tem comigo. Muitas saudações positivas.



SEGUNDA PÁGINA


Querida esposa ! Ainda não recebí notícias tuas mas espero que tenhas recebido todas as minhas cartas enviadas através do meu amigo Strükelj. Gostaria de saber como está tudo lá em casa, como foi a colheita e quanto gado tens agora e por fim como estão minhas queridas filhas, como estão evoluindo se estão obedientes e se estão com saúde. Eu estou bem e com saúde mas estranho por que não recebo nenhum pacote. Tu com certeza tens enviado na medida do possível, na certa não tens contato com o correio? Entregue-os na (não traduzido) para a senhora  Predalic,  a caixa bem empacotada ,colocada num saco e costurada.   Assim recebo tudo em ordem e seria muito....


TERCEIRA E ÚLTIMA PÁGINA

...bem vindo, principalmente cigarros.
Quando tu os conseguires, mande para mim. Tenho aqui um bom amigo que olha por mim e divide seus pacotes comigo, minha irmã Sterzüj,   de Laibach, o conhece, mas mesmo assim eu lhe peço, não me esquece. Eu saúdo vocês todos, beije as duas menininhas, elas não devem se esquecer do pai como eu também sempre me lembro delas, e dêem notícias. Para ti, querida esposa, as melhores saudações com a esperança de um reencontro em breve.
                    Miklavcic 



INFORMAÇÕES ADICIONAIS:   descobri um site com listagens de prisioneiros de DACHAU que nos mostra o destino de Franz Miklavcic, um dos autores de carta acima.  Ele foi resgatado vivo ao final da guerra.
Veja:
http://stevemorse.org/dachau/dachau.php?firstnameKind=exact&firstnameMax=FRANZ&lastnameKind=exact&lastnameMax=MIKLAVCIC&birthmonthKind=exact&birthmonthMax=&birthdayKind=exact&birthdayMax=&birthyearKind=between&birthyearMin=&birthyearMax=&birthplaceKind=contains&birthplaceMax=&titleKind=starts&titleMax=&townKind=contains&townMax=&streetKind=contains&streetMax=&numberMax=58748&numberKind=exact&DateOfArrivalKind=exact&DateOfArrivalMax=&dispositionKind=exact&dispositionMax=&commentsKind=exact&commentsMax=&categoryKind=exact&categoryMax=&IDKind=exact&IDMax=&pageKind=exact&pageMax=&discKind=exact&discMax=&imageKind=exact&imageMax=&offset=1&pagesize=50      

AGRADECIMENTO ESPECIAL À SRA.  LORENA KARASINSKI, DE BLUMENAU, PELO PRECIOSO AUXÍLIO NA TRADUÇÃO DESTAS CARTAS. SEM ELA SERIA IMPOSSÍVEL CAPTAR O ESPÍRITO DAS CORRESPONDÊNCIAS.  


Paulo José da Costa
compra e recebe doações de acervos de postais e fotos antigas, inclusive álbuns de família
para arquivo particular
Proteja a memória, ensine as crianças a amar as fotografias. 
41 88050624
paulodafigaro@hotmail.com

https://www.facebook.com/paulojose.dacosta

No comments:

Post a Comment

seu comentário está em análise. Em breve será postado.